Bahia, 27 de setembro de 2021 às 12:37 - Escolha o idioma: pt Português

  A Ciência é o Caminho


Publicado em: 24 de agosto de 2021


 

O retrocesso é a ruína do povo. A ciência é a ascensão da felicidade. É inadmissível que o Brasil viva à mercê de um presidente negacionista e propagador da desinformação, que banalizou a COVID-19 desde o início. A situação econômica brasileira deplorável também é reflexo da falta de engajamento político e social de Jair Bolsonaro e acima disso, a perda irreparável de mais de 500 mil pessoas é um núcleo crescente de desespero e luto. Um genocida à paisana controla as decisões mais importantes para o reestabelecimento do bem-estar social do país, porém o líder da nação não está preocupado com condolências e reestruturação da saúde pública mas envolto em falas que triavilizam a pandemia como uma “gripizinha” e, suas ações, indo pelo mesmo caminho quanto a irresponsabilidade em eventos com aglomerações, a falta do uso de máscara, a indução do uso de cloroquina no combate ao coronavírus e outras ações que acarretaram no retrocesso sombrio em que o Brasil se encontra.

A ciência é o caminho para acordar o gigante brasileiro, a fé e a esperança na vacina e nos profissionais de saúde, que lutam com recursos escassos para oferecer o melhor é a ponte que sustenta os que acreditam na melhora. O negacionismo e a hipocrisia matam e propagam as ideias mais repulsivas, enquanto isso teremos que nos deter ao pensamento que o sofrimento não pode ter sido em vão, que a história não basta só não se repetir mas que o povo é a fonte inviolável do direito à vida, liberdade, igualdade e que busca e persegue os ideias de justiça.

É com o pensamento no luto de todos os meus compatriotas que dedico esse texto a todas as famílias que hoje estão incompletas, aos nossos artistas que fizeram do riso revolução, aos profissionais que lutaram arduamente para aliviar o sofrimento dos que insistiram bravamente pela vida e para as ruas vazias de esperança.

Que nunca esqueçamos do poder da sensibilidade para com a dor do outro, que nunca nos esqueçamos da responsabilidade do voto  e que a história tenha piedade do futuro e nos conceda dias mais serenos. A ciência salva, ele não.

Singridy Ellen Freitas da Costa