Bahia, 6 de maio de 2021 às 17:55 - Escolha o idioma: pt Português

Câncer de Bruno Covas tem novos focos, diz prefeitura


Publicado em: 3 de maio de 2021


“Com o surgimento de novos focos, o prefeito de São Paulo precisará de dedicação integral ao tratamento”, diz nota da prefeitura

 

 

O motivo do afastamento do prefeito Bruno Covas, Bruno Covas (PSDB), do cargo é o surgimento de novos focos de câncer do sistema digestivo, segundo informou a prefeitura de São Paulo em nota oficial.

“Com o surgimento de novos focos, o Prefeito de São Paulo precisará de dedicação integral ao tratamento e entende que não será compatível com as suas responsabilidades e compromisso com a cidade e os paulistanos”.

O prefeito vai se afastar do cargo, que será assumido pelo vice, Ricardo Nunes (MDB).

Segundo a prefeitura, “o ofício com o pedido de afastamento por 30 dias será enviado nesta segunda-feira, 03/05, com base nos Artigos 65 e 66 da Lei Orgânica do Município”.

Em suas redes sociais, o prefeito postou um comunicado dizendo que tem sido “o mais transparente possível com a situação” de sua saúde e agradeceu o apoio recebido. “Obrigado a todos. O apoio e carinho que recebo é essencial para superar os desafios que venho enfrentando. Com força, foco e fé, venceremos”, disse Covas.

Tratamento e internação

Na terça-feira (27), Covas recebeu alta hospitalar após internação no hospital Sírio-Libanês. Segundo o boletim médico, ele recebeu tratamento quimioterápico e imunoterápico,.

Com a liberação do hospital, Covas prosseguiu com aplicações dos tratamentos com duração de 48 horas a cada duas semanas.

Quando foi internado pela última vez, a equipe médica encontrou novos pontos de câncer em Covas, que desde 2019 foi diagnosticado com a doença no trato digestivo. No dia 21 de abril, os médicos informaram que o prefeito apresentou também acúmulo de líquidos nos pulmões e no fígado.

No dia 16 de abril, o prefeito também usou as redes sociais para comentar o boletim médico em que foi revelado que ele apresenta novos pontos de câncer no fígado e nos ossos.

“Abaixar a cabeça!? De jeito nenhum. Vou seguir lutando. Ainda tenho muito trabalho a fazer. Obrigado a todos pelo carinho de sempre. Rezas, orações, pensamentos positivos que recebo de todos os cantos me fazem mais forte nessa batalha. #forçafocoefé”, escreveu Covas, no Instagram.

Bruno Covas tem 40 anos e está em seu segundo mandato como prefeito de São Paulo.

Tratamento de Covas deve permitir bom funcionamento dos órgãos, explica médico

No quadro Correspondente Médico, neurocirurgião Fernando Gomes falou sobre o estado de saúde do prefeito de São Paulo

 

O neurocirurgião Fernando Gomes explicou o tratamento realizado pelo prefeito de São Paulo, Bruno Covas. Médicos do tucano informaram que ele apresentou acúmulo de líquido nos pulmões e no fígado e, por isso, foram colocados drenos nas regiões abdominal e pulmonar. Covas está internado desde a semana passada após exames mostrarem novos pontos de tumores no fígado e nos ossos.

“Sempre que temos uma lesão, o corpo pode reagir de forma diferente. Assim, lugares do corpo onde já existem líquidos naturalmente, como, por exemplo, na cavidade abdominal, podem reagir com produção aumentada e alteração da quantidade de proteínas, de mediadores inflamatórios, aumentando o volume adicional de líquido”, explicou Gomes.

“Quando existe líquido no pulmão, ele não funciona de forma adequada. Para que ele possa continuar fazendo a troca gasosa, é importante que exista um dreno que retire o excesso de líquido e jogue para fora do corpo. A mesma coisa acontece na cavidade abdominal, esse líquido em excesso pode provocar algo que chamamos de ascite e, em excesso, provoca alterações que são indesejdas”, completou o médico.

Fernando Gomes ainda destacou que a colocação de um dreno é invasiva para o corpo humano. “Enquanto é necessário que o dreno esteja lá para permitir que os órgãos funcionem bem, ele permanece. E isso requer cuidado diferencial em termos de saúde e observação.”

Por CNN