Bahia, 1 de agosto de 2021 às 05:44 - Escolha o idioma: pt Português

Claudia Leitte se pronuncia após polêmica com Covid-19 no Altas Horas: ‘Quero me redimir’


Publicado em: 25 de maio de 2021


A cantora Claudia Leitte reapareceu nas redes sociais para se defender de sua fala que gerou polêmica no último sábado (22) durante a participação no programa ‘Altas Horas’.

Com dois dias de atraso, a artista divulgou em seu perfil no Instagram um vídeo sobre o assunto no qual se desculpa pela resposta positiva ao ser questionada sobre sua indignação na pandemia do coronavírus, afirmando que tinha um coração pacificador e não conseguia pensar em lado ruim (veja aqui).

“Vim aqui pedir desculpas por isso, porque eu não usei da ferramenta que tenho para fazer alguma diferença. E eu quero me redimir disso, eu não quero fazer mais isso. Quero dar espaço, sim, para que coisas diferentes aconteçam. Eu posso ser um agente de mudança, eis me aqui”.

Claudia, que na internet recebe o título de artista isenta ao lado da colega de profissão, Ivete Sangalo, assumiu que deveria ter aproveitado o espaço para usar sua voz e influência e protestar contra o descaso com a doença no país.

“Mais que um desabafo, esse era um momento eu precisava ter muita consciência do meu papel social e eu não tive. Não sei porque, cargas d’água, dei uma resposta evasiva naquele momento e, desde que saí do programa, estou reflexiva”, disse.

Em um vídeo de pouco mais de 2 minutos, a cantora afirmou que precisava tomar consciência do papel que ocupa como pessoa pública e cidadã.

“Quando saio do palco, em qualquer situação, continuo sendo cidadã, mas se tenho o microfone ligado, continuo representando aquelas pessoas, servindo aquelas pessoas. Eu precisava ter falado das minhas indignações para levantar questões, discussões saudáveis, conversas a respeito daquilo, mudanças de atitudes, comportamentos dentro da sociedade”.

A intérprete de ‘Rodou’ pontuou suas indignações, entre elas o fato de não ter vacina para todo mundo no Brasil. Claudia Leitte mora nos Estados Unidos desde 2017.

“Me indigna o fato das pessoas que não usam máscaras, continuam promovendo e incitando aglomerações. O número alarmante de mortos é desesperador. O noticiário sangra todos os dias. O número de pessoas passando fome é revoltante, triste, desesperador, sufoca. Não falei sobre as mulheres que estão sofrendo violência doméstica e não têm abrigo, porque com seus filhos são abusadas dentro de casa. Não falei que me indigno com o fato de que não tem vacina para todo mundo no meu país”, declarou.

 

Bahia Notícias