Bahia, 27 de setembro de 2021 às 12:55 - Escolha o idioma: pt Português

Hospital Dom Pedro recebeu R$132 milhões e vereador questiona como valor é gasto


Publicado em: 10 de setembro de 2021


“Como membro da Comissão de Saúde de Feira de Santana quero chamar a atenção para uma notícia que ouvi recentemente na rádio Subaé sobre o Hospital Geral Dom Pedro de Alcântara, que recebeu a bagatela de R$132 milhões”. A declaração é do vereador Paulão do Caldeirão (PSC), que discursou recentemente sobre o assunto na tribuna da Câmara Municipal. De acordo com Paulão, será necessário apresentar um requerimento na Casa com o intuito de questionar à direção do hospital de que forma esse valor foi gasto.

“Já pedi uma reunião com o secretário de saúde do município, porque quero saber como o Dom Pedro recebe R$132 milhões, mas não tem cirurgia ortopédica, não tem atendimento de emergência, não tem nada.  Onde e como é gasto esse valor na Santa Casa de Misericórdia?”, indagou. Segundo Paulão, o povo de Feira de Santana quer saber. “Não é R$132 mil nem R$32 mil; são R$132 milhões. É lamentável ainda dizerem que aquele hospital é um órgão público. Gostaria que algum vereador do governo pudesse me informar. E ainda acabaram com a ala de emergência”, disse.

Ainda conforme o vereador, recentemente foram instalados oito leitos de UTI. “Como foi isso? Com que dinheiro? Como vão funcionar essas UTIs? Se necessário for, irei ao Ministério Público. O que não dá pra deixar acontecer é ver uma coisa dessa e me calar; é ver o dinheiro público descer pelo ralo. Gostaria que a Dra. Sandra Peggy me explicasse como é isso, porque eu quero saber. Só o Clériston Andrade opera hoje em Feira; como é que o Dom Pedro recebe esse valor e não opera?”, questionou.

Emerson Minho (DC) disse, como presidente da Comissão de Saúde da Casa Legislativa, que a denúncia será apurada. “Vamos fazer uma reunião e agendar um horário para ir na Santa Casa de Misericórdia pra saber o que está acontecendo, porque não tem mais nada lá; não tem atendimento para pacientes com anemia falciforme, não tem atendimento de covid-19 etc. O Dom Pedro hoje se resume a poucos atendimentos. Essa é uma denúncia grave e nós precisamos investigar, clarificar isso para a sociedade feirense”, afirmou.

Eremita Mota (PSDB ) lamentou que, há pouco tempo, o irmão de uma colega dela precisou de uma vaga no Dom Pedro e não tinha para quem apelar. “Então resolvi ir até a unidade e perguntei porquê não tinha vaga. Só me disseram que era grave, mas eu não posso dizer o nome, e que o pedido foi feito por um empresário. Aí logo a pessoa teve direito a uma vaga. Isso é um absurdo. Essa Casa já deu muita verba para o Dom Pedor, e eu, como vereadora, também já dei. Só quero que o atendimento ali seja ampliado para quem precisa”, declarou.

Ascom – Câmara Municipal