Bahia, 1 de agosto de 2021 às 15:02 - Escolha o idioma: pt Português

Servidor da Saúde reclama de cortes que variam entre R$600 e R$1.000 nos salários


Publicado em: 16 de junho de 2021


Servidores da Secretaria Municipal da Saúde de Feira de Santana não receberam, no mês de maio, a Gratificação por Exercício em Unidade de Saúde (GEUS). O corte na remuneração representou a diminuição dos salários, em valores que variam entre R$600 e R$1.000. A denúncia foi feita por Expedito Silva, técnico de laboratório do município, na manhã desta terça-feira (15), quando o mesmo fez uso da palavra na Tribuna Livre da Câmara Municipal. Ele e servidores de outras categorias fizeram manifestação contra posicionamentos da prefeitura.

De acordo com Expedito, a GEUS é paga há mais de 25 anos. “Não estamos pedindo nada a ninguém. Isso é um direito nosso, adquirido segundo a Lei 01/94. Os servidores têm direito”. O funcionário pediu o apoio dos vereadores para garantia de outros direitos. “Queremos a nossa estabilidade; o enquadramento do nosso GEUS, e o nosso plano de carreira, que foi aprovado na época do prefeito João Durval, onde José Raimundo assumiu. Logo após a entrada de José Ronaldo, ele cortou todos os nossos direitos”.

“A gente deveria estar ganhando na faixa de 4 mil reais”, diz Expedito ao cobrar o cumprimento do plano de carreira e pagamento de horas extras. “Um servidor público como eu, que trabalho há 33 anos, tenho um salário bruto de R$1.900. Queremos o que é nosso por direito. Queremos a implantação do nosso plano de carreira. Desde janeiro, não recebo nenhuma hora extra”.

O servidor disse ainda que “o pessoal do Samu está na mesma situação. Estão recebendo R$200 a menos. Me sinto envergonhado de ter um prefeito que não faz nada pelo servidor”.

 

Ascom – Câmara Municipal